quinta-feira, 5 de agosto de 2010

As palavras e as ações.

© Olivier Morel WCCSG 2010

Este crop circle foi reportado na terça feira passada, dia 3 de agosto. Foi encontrado em um campo de trigo no topo de uma colina chamada Whitefield Hill, e trouxe com ele algo que achei ser relevante dividir com todos.

A formação havia sido reportada no final da tarde/começo da noite da terça feira, então só poderíamos visitá-la no dia seguinte.

Disseram-nos que o fazendeiro "dono" daquelas terras era um homem muito religioso, um cristão fundamentalista que seguia a bíblia à risca e mencionava Jesus de maneira pragmática e que ele provavelmente seria meio avesso à possíveis "explicações" sobre os crop circles, sabedoria ancestral, simbologia, etc.

Na manhã da quarta feira, Igor se encontrou com o fazendeiro, para falar sobre crop circles de maneira geral, e para explicar que muitas pessoas iriam gostar de visitar aquela formação, e que viajantes do mundo inteiro vem a Wiltshire nesta época do ano por conta do fenômeno dos crop circles.

Originalmente, o fazendeiro pareceu meio resistente, e não gostou muito da idéia.

Passadas algumas horas, após a conversa e após refletir um pouco, o fazendeiro surpreendeu a todos.

Ao invés de questionar as origens e porquês ele manteve-se respeitoso e decidiu deixar o crop circle ali, não pelo dinheiro das doações que provavelmente receberia dos visitantes, ou por qualquer outro motivo. Simplesmente porque, após saber que muitas pessoas gostariam de visitá-lo, ele não se sentiu no direito de privá-las disso. Não questionou a crença dos outros nem quis convencê-los de sua visão religiosa. Ele levou em consideração em primeiro lugar a "necessidade" dos outros e depois suas convicções.

Achei muito nobre essa atitude, digna de ser reconhecida como ato de alguém que vive sua verdade, independente da forma como ela se apresenta.

Após a experiência em Wickham Green, na qual o fazendeiro não quis nos ouvir e simplesmente pediu para que saíssemos de sua "propriedade", foi interessante vivenciar isso.

© Olivier Morel WCCSG 2010



© Olivier Morel WCCSG 2010

© Olivier Morel WCCSG 2010

E assim, acho que ao invés de tentar explicar o desenho desta formação, preferi ficar com a lição viva que veio junto com ela. Pelo menos por enquanto :)

Muitas vezes (a maior parte delas) nos fechamos em nossas chamadas convicções e ficamos cegos às necessidades que estão além da nossa própria vontade. Deixamos de exercitar a verdadeira benevolência e o verdadeiro sentimento de unidade com o outro, e assim, nos separamos. Criamos dor, conflito e caos, mas continuamos achando que estamos no caminho certo porque temos uma imagem na carteira para nos proteger, ou porque seguimos as regras escritas em um livro, ou porque temos certeza de que a nossa visão é a que leva à verdade.

A Verdade é a unidade, e não chegaremos a ela através de palavras ou de convicções (sejam elas quais forem). É na Verdade que mostraremos a verdadeira face de nossas almas, através das nossas ações, por menores que sejam elas.

Amor e Luz,

Daniel

5 comentários:

  1. Bela explicação Daniel, gostei e aprovo a atitude deste fazendeiro que através do seu gesto nos deu uma liçao grandiosa através de sua explanação do ocorrido.... continue está fazendo um belo trabalho...abraços de Luz para voce...JO

    ResponderExcluir
  2. Daniella Biancalana6 de agosto de 2010 20:40

    Lindíssima essa formação!!!!! e a maior verdade , realmente, é a verdade de cada um!

    ResponderExcluir
  3. Gratidão por compartilhar...

    Amor e Luz.

    ResponderExcluir